segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Entre a caridade e a ciência, Eliane Cristina Deckmann Fleck

Uma obra monumental (mais de 550 páginas) de uma das maiores especialistas em história das práticas missionárias dos jesuítas na América. Neste livro, a historiadora Eliane Cristina D. Fleck reúne diversos textos de sua grande trajetória de pesquisas dedicadas com afinco, originalidade e pioneirismo ao tema das sensibilidades dos jesuítas e dos Guarani nas reduções do Paraguai dos séculos XVII e XVIII. Dividido em quatro partes, a obra aborda diversos discursos e práticas dos jesuítas em contato com os indígenas, com reflexões sobre: adoecimentos, epidemias, curas, saúde, mortes, "remédios", boticários, medicina, cultura científica, farmacopeia indígena e colégios jesuíticos.
Ancorada na História Cultural e na Antropologia, o livro é uma demonstração de como o historiador deve "ler" as fontes; é uma verdadeira exposição de pleno domínio e conhecimento sobre as possibilidades interpretativas das fontes (cartas ânuas, livros de medicina, de ciência, de história natural), revelando, com perspicácia, interessantes conclusões a respeito das vivências compartilhadas por jesuítas e indígenas, sujeitos que, em contato, estavam propícios a diversas experiências, cujas traduções eram complexas, dinâmicas, plurais, tensas.
Leitura fundamental para quem se dedica não apenas ao estudo da atuação da Companhia de Jesus na América, mas a todos que pesquisam temas que envolvam história das religiosidades e história da ciência, especialmente no contexto da América colonial portuguesa e da América Platina.



FLECK, Eliane Cristina Deckmann. Entre a caridade e a ciência: a prática missionária e científica da Companhia de Jesus (América platina, séculos XVII e XVIII). São Leopoldo: Oikos/Unisinos, 2014.

Nosso amplo presente, Hans Gumbrecht

O futuro, uma ameaça. O presente, amplo, com mundos simultâneos, com demasiadas possibilidades, sem identidade de contornos indefinidos. Os passados inundam o nosso amplo presente.
O pequeno livro (153 páginas), do intelectual alemão Hans Ulrich Gumbrecht, é uma junção de artigos já publicados na Europa entre 2008 e 2011.
Chega em boa hora, quando a historiografia brasileira tem se interessado muito pela ideia de 'regimes de historicidade' e 'presentismo', anunciadas por François Hartog.


GUMBRECHT, Hans Ulrich. Nosso amplo presente: o tempo e a cultura contemporânea. Tradução Ana Isabel Soares. São Paulo: Unesp, 2015.

Poesia e Política, Robert Darnton

Sobre a comunicação oral e escrita nas ruas de Paris no século XVIII.
Mais uma obra genial do historiador norte-americano Darnton, que demonstra com grande maestria como o historiador pode (e deve) manejar as fontes e como deve demonstrar suas interpretações.

Resenha em parceria com Yllan de Mattos:
http://www.seer.ufrgs.br/index.php/anos90/article/view/51850



DARNTON, Robert. Poesia e polícia: redes de comunicação na Paris do século XVIII. Tradução Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.