A alma das coisas, José Reginaldo Santos Gonçalves

"A alma das coisas", numa série de artigos, sintetiza bem a artificialidade da divisão do patrimônio entre dimensões materiais e imateriais. Busca destacar a flagrante materialidade daquilo que é considerado imaterial. A obra questiona a separação material/imaterial das edificações, das práticas culinárias, das festas populares, alertando para a indeterminação destas dimensões estanques em relação ao patrimônio. Dependendo do contexto sociocultural, essas oposições (tangível/intangível) ganham contornos e formas distintas. Entre os temas abordados por diversos autores (antropólogos e sociólogos)estão: formas de habitar, baianas de acarajé, objetos no candomblé, folias de reis, objetos nos maracatus, memória na construção do patrimônio familiar. Ao final do livro, um lindo caderno de imagens completam o entendimento da obra.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos; GUIMARÃES, Roberta Sampaio; BITAR, Nina Pinheiro (orgs). A alma das coisas: patrimônios, materialidades e ressonância. Rio de Janeiro: Mauad X,FAPERJ, 2013.

Comentários